EXORCISTAS DO VATICANO, CRÍTICA DE FILME

EXORCISTAS DO VATICANO: CRÍTICA DE FILME

O filme Exorcistas do Vaticano vende muito bem pelo trailer que nos denota além de uma grande produção, um bom filme de terror com um enredo que alia o suspense ao terror e ainda a religião. Ufa, mas calma pois esta é apenas a sensação trazida pelo trailer.

O filme em si é bem água com açúcar, aliando fatos batidos e clichês em filmes de terror que marcam presença forte neste filme como a moça possuída, fatos sobrenaturais que ocorrem decorrente desta possessão e um exorcismo. Mas calma, pois não é qualquer exorcismo não, afinal foram padres do Vaticano que estão acompanhando de perto este quadro de possessão e sim, o Vaticano em si fica mesmo só em algumas externas para situar de onde aqueles padres exorcistas vem.
O contexto em si é bem batido e o filme não empolga. NOTA 4.

Sinopse do Adoro Cinema:
Angela Holmes (Olivia Taylor Dudley), de 27 anos, acidentalmente corta seu dedo e vai parar na emergência, quando a infecção do ferimento faz com que ela comece a agir de forma estranha e assombrosamente começa a causar ferimentos graves e até mortes nas pessoas ao seu redor. O Padre Lozano (Michael Peña) examina a moça e acredita que ela está possuída. Ao tentar exorcisar o demônio, o Vaticano descobre que a força satânica em Angela é mais forte do que eles imaginavam

foto: Adoro Cinema
#criticadefilmedorafa Aqui no Acoplando Arte!


COMPARTILHAR:

+1

0 Response to " EXORCISTAS DO VATICANO, CRÍTICA DE FILME "

Leia também

Arquivo do blog

Total de visualizações

Follow by Email